Bolsa ANDO

A ANDO Portugal – Associação Nacional de Displasias Ósseas, foi criada em 2015 com o objetivo de informar a sociedade sobre displasias ósseas, apoiar pessoas com displasia óssea e famílias, facilitar referenciação de cuidados especializados e estimular e colaborar em investigação científica, clínica e social.

 

Iniciativa Pioneira em Displasias Ósseas

As displasias ósseas são condições ósseas raras genéticas que englobam um grupo heterogéneo de 461 tipos e comportam alteração da morfologia óssea, cartilagem e dentina e a ocorrência de múltiplas patologias associadas em diversos sistemas orgânicos.

São condições crónicas, incapacitantes e irreversíveis e a maioria caracteriza-se por baixa ou extrema baixa estatura que pode ser proporcionada ou desproporcionada. Por serem raras, há uma enorme necessidade de aumentar a informação e a formação técnica, de forma a que o acompanhamento clínico ao longo da vida seja estruturado, multidisciplinar e centrado na pessoa.

Para estimular conhecimento e interesse nesta área, criámos a Bolsa ANDO, uma iniciativa inovadora promovida integralmente pela ANDO. Uma oportunidade única para estudantes de cursos de saúde no ensino público e privado em Portugal aprenderem com as mais conceituadas equipas do mundo em displasias ósseas.

 

A Bolsa ANDO é um complemento formativo que tem como objetivo principal estimular o interesse e conhecimento em displasias ósseas, dando aos estudantes a possibilidade de reforçar as suas competências profissionais e humanas.

Consiste num estágio extracurricular (externship) intensivo de 2 semanas em ambiente hospitalar, sendo os custos de viagem e alojamento assegurados pela ANDO.

Em cada edição, são selecionados dois alunos, sendo que na edição de 2022, serão 2 alunos do Mestrado Integrado de Medicina.

Esta oportunidade permitirá aos alunos selecionados observar, questionar e explorar diversos temas relacionados com displasias ósseas, orientados por profissionais experientes nesta área. A Bolsa ANDO abre também novos horizontes de contactos para progressão de vida académica e profissional.

Consulte o Regulamento da Bolsa ANDO 2022 aqui

Descarregue os documentos de preenchimento obrigatório para a candidatura: 1. Declaração de Média Ponderada e 2. Declaração de Compromisso de honra.

Preencha o Formulário de Candidatura no fim desta página e carregue todos os documentos solicitados.

A aproximação entre as instituições a que os estudantes selecionados pertencem e a ANDO Portugal que, aliando uma vasta rede de contactos de centros hospitalares e profissionais especializados, fomenta o aumento de contribuições académicas, a criação de nova ciência e conhecimento nesta área negligenciada.

Possibilitará às Instituições de Ensino a divulgação entre pares da seleção prestigiante do seu aluno para esta bolsa.

Para concretizar o objetivo de estimular a criação de mais conhecimento na área das displasias ósseas, após o período da Bolsa ANDO, os estudantes selecionados deverão desenvolver um dos seguintes trabalhos: Tese de Mestrado ou Artigo Científico (estudo de um caso ou revisão bibliográfica.

Integrado na Divisão de Endocrinologia, consiste numa colaboração multidisciplinar de várias especialidades das perturbações no metabolismo ósseo e mineral.

O Center for Bone Quality presta cuidados de primeira linha a pessoas com diferentes tipos de osteoporose, perturbações ósseas metabólicas e no metabolismo do cálcio e do fosfato.

O Centro fornece acesso a cuidados ideais e completos, programas de prevenção, acompanhamento a longo prazo e inovações científicas em conformidade com os padrões internacionais de cuidados.

Saiba mais aqui .

A Dra. Natasha Appelman-Dijkstra será a Coordenadora da Bolsa ANDO no Center for Bone Quality da LUMC.

Trabalha desde 2012 na LUMC onde desenvolveu a Trajetória Coordenada de Cuidados para a Osteoporose, premiada com medalha de ouro pela Fundação Internacional de Osteoporose.

Endocrinologista especializada em osteoporose, doenças metabólicas ósseas e perturbações do cálcio/fosfato, é desde 2016 diretora do Center For Bone Quality e desde 2019 directora do programa de formação em Residência Académica para Endocrinologia na LUMC. Tem, além disso, participado como Investigadora Principal em diversos estudos clínicos no campo das doenças ósseas raras.

Saiba mais aqui .

Edições anteriores*
*a edição de 2020 foi cancelada devido à Pandemia COVID-19

PARTILHAR: