INFORMAÇÃO - VACINAÇÃO COVID-19

VACINAÇÃO COVID-19 PARA PESSOAS COM DISPLASIAS ÓSSEAS E POPULAÇÃO GERAL

Vacinas disponíveis

Existem 2 vacinas contra a COVID-19 disponíveis em Portugal, sendo esperada uma terceira para breve, da AstraZaneca. As 2 vacinas disponíveis são produzidas por empresas diferentes e são conhecidas pelo nome das empresas:

  • Pfizer-BioNTech - aprovada para utilização em pessoas a partir dos 16 anos de idade.

  • Moderna - aprovado para utilização em pessoas a partir dos 18 anos de idade.

O plano de vacinação em Portugal está atualmente na Fase 1, que engloba:

  • Profissionais de saúde diretamente envolvidos na prestação de cuidados a doentes

  • Profissionais, residentes e utentes em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) e instituições similares (nos termos da Orientação 009/2020 da DGS)

  • Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI)

  • Profissionais das forças armadas, forças de segurança, serviços críticos e titulares de órgãos de soberania e altas entidades públicas.

A partir do dia 1 de fevereiro 2021, a Fase 1 incluirá todas as pessoas com mais de 80 anos, bem como aquelas com mais de 50 e patologias de risco:

Mais de 100 outras empresas em todo o mundo estão a desenvolver vacinas contra a COVID-19, que estão a ser estudadas em ensaios clínicos. Se for comprovada a sua segurança e eficácia contra a COVID-19, poderão vir a estar disponíveis no futuro. 

 

Existem vacinas para crianças?

Não existem ainda vacinas contra a COVID-19 que possam ser administradas a crianças abaixo dos 16 anos de idade. Contudo, já estão a ser realizados ensaios clínicos para estudar a segurança e eficácia das vacinas da Pfizer e da Moderna em crianças com mais de 12 anos de idade. Também está previsto o início de ensaios clínicos para crianças com menos de 12 anos ainda em 2021, mas para ambas as situações, é possível que só no final de 2021 ou início de 2022 existam dados de segurança e eficácia. A isto, terá de se seguir o pedido de autorização para utilização das vacinas nestas faixas etárias à Agência Europeia do Medicamento, a EMA.

Felizmente, os dados existentes sobre pessoas infetadas com COVID-19 indicam que as crianças têm, na sua maioria, sintomas mais leves em comparação com a população adulta.

 

Existem recomendações em relação ao peso e tamanho corporal?

Não existem recomendações de peso mínimo para os adultos receberem as vacinas COVID-19 disponíveis. Muitos adultos com displasia óssea e baixa estatura têm peso aproximado ao peso mínimo de pessoas adultas de estatura média (60kg) e podem receber as vacinas atuais. Os adultos com displasia óssea com extrema baixa estatura e peso significativamente inferior devem avaliar a vacinação com o seu médico assistente.

 

Quantas doses são necessárias?

É necessário receber 2 doses de qualquer uma das vacinas COVID-19 disponíveis de modo a garantir eficácia na prevenção de sintomatologia clínica. As 2 doses da vacina da Pfizer têm de ser administradas com um intervalo de 3 semanas enquanto que a da Moderna com um intervalo de 4. Não devem nunca ser misturadas vacinas. Estão em curso novos ensaios para determinar se uma dose é suficiente para proteger contra a COVID-19.

 

Qual a eficácia das vacinas atuais?

A vacina da Pfizer-BioNTech tem uma eficácia de 95% na prevenção contra a COVID-19 e a vacina da Moderna tem uma eficácia de 94%. Esta eficácia é atingida após a administração das 2 doses.

 

Como funcionam as vacinas mRNA?

As vacinas existentes contra a COVID-19 são vacinas modificadoras de mRNA (mais precisamente, de RNA mensageiro). Estas vacinas não contêm vírus e não podem causar a doença COVID-19. Uma vez administrado este tipo de vacina, o mRNA dá instruções genéticas às células do corpo para produzir uma proteína viral. O sistema imunitário da pessoa vacinada reconhece então esta proteína como estranha e começa a produz anticorpos (células de defesa) contra ela. Estes anticorpos proporcionam à pessoa vacinada a capacidade de combater uma infeção por coronavírus e prevenir a doença COVID-19.

É importante compreender que o mRNA deste tipo de vacina NÃO entra no núcleo de células. O núcleo é onde está armazenado o ADN (que contém a informação genética). Em vez disso, quando o mRNA da vacina completa o seu trabalho de criar uma parte do vírus sem capacidade de infeção, é rapidamente decomposto e eliminado do corpo (tal como todos os outros mRNA).

 

Quais os cuidados após receber a vacina?

Deve continuar a cumprir todas as regras de segurança para minimizar infeções, incluindo o uso de máscara, distanciamento de 2 metros entre pessoas, lavar as mãos frequentemente e manter higiene respiratória.

Todas as vacinas foram estudadas no âmbito das medidas de saúde pública em curso, incluindo uso de máscara e distanciamento social. Com base nos dados atualmente disponíveis, não é ainda conhecido o tempo de imunidade contra a COVID-19 após a vacina ou quanto a transmissão do vírus pode (ou não) ser afetada pela vacina. Estes estudos estão em andamento.


Outras questões

O contágio com COVID-19 pode ser evitado se receber a 1ª dose da vacina imediatamente após ter estado exposto a uma pessoa infetada?

Provavelmente não. O tempo médio de incubação, desde a exposição até ao aparecimento de sintomas é de 4 a 5 dias (podendo variar entre 2 e 14 dias). A imunidade eficaz só é conseguida depois de receber 2 doses, o que demora entre 21 a 28 dias, consoante a vacina.

Deve tomar a vacina se tiver sido exposto a uma pessoa infetada?

Sim, mas apenas quando terminar o período de quarentena. Após exposição e infeção (mesmo sem sintomas) pode transmitir aos profissionais de saúde e ao público em geral. Evite estes contatos, complete a sua quarentena e consulte o seu médico.

Quais são os potenciais efeitos adversos da vacina COVID-19?

Ao considerar quando e se deve obter a vacina, é importante compreender que não há escolha sem risco. Atualmente, o risco de efeitos secundários ou adversos é menor do que o risco de contrair COVID-19 e de ter as consequências a longo prazo de uma infeção.

As reações adversas comuns incluem dor no local de injeção durante alguns dias. Cerca de 50% das pessoas que recebem a vacina desenvolvem uma reação sistémica tal como dores de cabeça, arrepios, fadiga, dores musculares e/ou febre durante 1-2 dias. Estas reações indicam que o seu sistema imunitário está a responder à vacina. Não desenvolverá infeção por COVID-19 após a vacina. Menos de 0,001% das pessoas vacinadas relataram reações adversas sérias.


Nota: Este documento foi preparado com base num documento publicado pela LPA de 30 de Janeiro 2020 "COVID-19 Vaccination Information for the General Public and People with Skeletal Dysplasias" e foi redigido pelos membros do conselho consultivo desta organização: Dra. Julie Hoover-Fong; Dr. William Mackenzie, Dr. Michael Bober.

Haverá novas informações à medida que a investigação sobre as vacinas contra a COVID-19 avance, haja mais ensaios clínicos e mais pessoas receberem a vacina. Por conseguinte, é expectável que nos próximos tempos ocorra revisão das recomendações de cuidados de saúde sobre a COVID-19 e sobre as vacinas. Deve questionar o seu médico se tiver dúvidas relativamente à administração de uma vacina contra a COVID-19.

 

Fontes:

LPA MBA COVID

Campanha de vacinação contra a COVID-19- fase 1- DGS

PARTILHAR: